Tuesday, 28 June 2016

Jatobá, Jitaí (Hymenaea courbaril L.)

Usado como alimento, medicina, madeira de alta durabilidade, repelente de insetos, entre outros, o Jatobá é um gigante de até 30 m de altura que pode ser encontrado desde o México até o Paraguai, em solos pobres e argilosos, mas que está sob risco de extinção no Brasil pela exploração predatória da Amazônia.

USOS MEDICINAIS NA AMÉRICA DO SUL
A casca é macerada pelos índios Karaja do Peru e pelo povo Crioulo da Guiana para tratar diarreia.
Para os Ka’apor, se toma a casca para diminuir fluxos menstruais intensos, aplica-se para olhos doloridos e também se utiliza para remover parasitas e vermes intestinais.
Na Guatemala, se utiliza para febre e reumatismo.
Na amazônia peruana, a casca é utilizada para tratar cistite, hepatite, inflamação e câncer de próstata, e tosse.
Na amazônia brasileira, a resina e as folhas são usada para tosse, bronquite, laringite, asma e diversos outros problemas pulmonares e cardiácos. no Panamá se utiliza também para o tratamento da diabetes; o chá da casca é utilizado para problemas de estômago, fungos nas unhas e nos pés e é um poderoso estimulante e fortificante, sem conter cafeína ou outros estimulantes daninhos.
Seiva tomada com água e mel ou casca mascada: ameniza os sintomas de cistite aguda; fortalece o sistema imunológico; colabora contra os sintomas da gripe, da bronquite, da asma e de outros problemas pulmonares e inflamações.
Resina: “jutaicica” (retirada da base da árvore) [mascada] para aliviar dores estomacais e flatulência; [queimadas e inaladas] contra dores de cabeça e resfriados; pode ser usada na fabricação de goma de mascar.

O jatobá é diurético, carminativo, bactericida, antiinflamatório, fungicida, purgante, tônico do sistema imunológico, antimalárico.


Como fazer o chá da casca
3 dedos da casca (20g) para 2 litros de água, deixar ferver por 15 minutos; coar e tomar um copo cheio 3x ao dia por no mínimo 20 dias.
A casca também pode ser utilizada para garrafadas, lambedores e xaropes.


OUTROS USOS COMUNS
Frutos: comidos ao natural por humanos e por animais como anta, paca, macaco, veado, cutia (que, além de contribuir na dispersão das sementes, podem servir como alimento); de sua polpa também pode ser feita farinha. Apresentam grande concentração de ferro.
Seiva: combustível, ótimo verniz vegetal para peças de barro e impermeabilizante para as canoas.
Folha: contém substância tóxica que mata fungos e repele saúvas e lagartas.
Madeira: dura, pesada e de longa durabilidade, utilizada na cidade para construção civil e, no interior, para construção de canoas.
Saiba mais: O m³ da árvore em pé vale cerca de R$ 7 (2008), enquanto o kg de sementes (cerca de 300 un.) vale R$ 10.

Referências
Base de Datos de plantas medicinales, pag 32 < http://www.iiap.org.pe/cdpublicaciones2011/documentos/pdf/piba/pu/22.pdf > Acesso em 29/05/2016.
SHANLEY; SERRA; MEDINA.Frutíferas e plantas úteis na vida Amazônica. Cifor, 2010. pag 105-113.
<http://www.rain-tree.com/jatoba.htm#.VnPby_krLIU> Acesso em 18/12/2015.
Imagem: <onordeste.com>

No comments:

Post a Comment