Wednesday, 17 August 2016

Chicha!


 Figura 1: Gil apreciando uma Chicha de jora em Pisac
A Chicha é um fermentado natural de um milho amarelo peruano, e pode conter entre 1 a 3% de álcool. Sua elaboração é considerada uma arte e cada pessoa tem sua própria receita e maneira de fazê-la, o que faz com que nenhuma chicha seja igual à outra, tanto em questão de gosto quanto em nível de fermentação (e algumas pessoas podem ser muito reservadas quanto à revelar seu método de preparo).
Ainda que sua origem lendária seja muito humilde, a chicha se converteu na bebida predileta das pessoas de grande nobreza e até hoje é utilizada em cerimônias místico-religiosas em honra às divindades (wacas) e aos espíritos das montanhas (apus). É a ponte de comunicação entre a natureza (sallqa), a comunidade humana (runas) e as divindades (wacas). Nos andes, era utilizada pelos incas em suas cerimônias e festas religiosas, e ainda hoje é a bebida utilizadas nos pagos a la tierra, nas festas pátrias, velórios, casamentos, aniversários. Uma bebida que une as pessoas.
O básico para fazê-la seria o Maiz de jora, e a água. Algumas pessoas que acrescentam cravo, cevada, 7 farinhas, mais ou menos açúcar, canela, morangos, cenoura, quinoa… Existem tantas chichas quanto pessoas na região de Cusco hahahaha.

Figura 2: Chicha de Quinoa no Mercado San Blás, Cusco

Uma das maneiras de fazer uma Chicha de “Jora” (milho)

-Selecionar os grãos de milho;
-Deixá-los de molho;
-Escorrê-los;
-Deixá-los germinar;
-Colocar no sol;
-Moê-los;
-Cozinhá-los, movendo sempre para que não se queimem, por 8 horas, sempre acrescentando água para que se mantenha no mesmo nível;
-Deixá-los fermentar por 2 (cor pardo-escuro) a seis dias (cor amarela ou pardo-claro) em tachos de cerâmica, movendo no mínimo uma vez por dia para que haja mais ar;
-Coar com voal, coador de pano (fibra de algodão) ou de “ichu” (palha);
-Acrescentar açúcar mascavo (opcional e pode ser feito antes da fermentação para acelerar o processo);
-Acrescentar água (opcional e/ou caso esteja muito espessa – varia conforme o gosto de quem faz);
-Colocar morangos e bater no liquidificador (opcional, para aqueles que apreciam a frutillada, Chicha com morango);
-Apreciar !! (preferencialmente com outras pessoas, para que não se perca o caráter social da Chicha!).

Figura 3: Chicha de zanahoria (cenoura) no Mercado Modelo de Puerto Maldonado
A Chicha é rica em probióticos, e se observa que as pessoas que a consomem com certa frequência estão menos propensas a ter diarreias e outras afecções intestinais e tem uma melhor qualidade de flora intestinal, o que as confere melhor imunidade e absorção de vitaminas e minerais. É um alimento bastante nutritivo e energético e acredita-se também que a Chicha seja benéfica para a próstata, para doenças do coração e do fígado e para depressão.


Muitos não-peruanos, quando viajam ao Peru, já tem um ideia pré-concebida do que é esse fermentado, o que os faz ter um certo nojo de provar a Chicha, por acreditarem ser um fermentado obtido a partir do cuspe de quem o produz. Desde já deixamos claro que nem todas as chichas alcoolicas são cuspidas. Só as melhores ;) Algumas são deixadas para fermentar em tachos de barro ou garrafas enterradas, outras ao ar livre, outras cobertas com um tipo de palha, outras com açúcar… Como já dissemos, cada um tem sua receita!
Figura 4: Tomando Chicha e conversando em Pisac!
Para nós, fazer parte das comunidades e cidades que visitamos inclui almoçar nos mercados populares (sopa + prato principal + refresco/chá a partir de s./ 4, algo como R$ 4 atualmente), conversar em espanhol com as pessoas, aprender o Quechua e, é claro, tomar Chicha em copos de 750ml (s./ 1 = R$ 1), em pequenos estabelecimentos muito acolhedores de chão batido, paredes de adobe, forro de madeira e teto de telhas de barro com os locais! Você já experimentou a Chicha? Conte-nos sua experiência!

Figura 5: Mamita que faz uma das melhoras Chichas de Pisac ;)
"¡Sulpaikichi!" (uma das muitas maneiras de dizer “Gracias” em Quechua)

Referências
Entrevistas à pessoas que fazem chicha na cidade de Cusco e Pisac (e, diga-se de passagem, enquanto apreciávamos distintos tipos de Chicha e conversávamos com as mais diversas pessoas sobre os mais diversos assuntos);
https://plantitas.wordpress.com/2008/09/03/chicha-de-jora-un-regalo-de-los-incas/
Imagens: Arquivo pessoal, Peru, 2016.

No comments:

Post a Comment