Wednesday, 28 September 2016

Maca Negra, Deutério e Câncer

Nesta segunda-feira, 26/09/2016, compartimos em uma reunião com pessoas de diversas partes do Peru, do Chile e do Brasil, na qual falamos sobre diversos assuntos, dentre os quais destacamos a Quiropraxia Inka, a Folha de Coca e seus usos alimentícios, medicinais e ritualísticos e a Maca Negra.

Imagem 1: Maca negra
Imagem 2: Dr. Ciro falando na reunião
O Dr. Ciro Castillo Huerta nos deu uma breve explicação sobre a fitoquímica da Maca Negra e falou que a Maca, por si só, é
-Energizante;
-Antiestressante;
-Antidepressiva
Mas, para que a Maca Negra seja antitumoral; e sirva para amenizar sintomas da TPM, cólicas e dores menstruais; amenizar os sintomas da menopausa; ter propriedades antioxidantes e melhorar a memória, é necessário que seja plantada a mais de 3.800 metros sobre o nível do Mar, como a plantada na região de Junín, (o que faz com que, dentre outras coisas, ela apresente um baixo nível de deutério*) e que, para ser transformada em farinha, passe antes por um processo de secagem de três meses, para que os raios solares possam fazer as mudanças necessárias na composição bioquímica do tubérculo, o que nem sempre acontece com a Maca comumente comercializada (que pode ser encontrada com o nome de "Maca fresca" em mercados de todo o Peru), pois, segundo a lógica do "tempo é dinheiro", esses 3 meses em que a Maca estaria "tomando um solzinho" significariam uma enorme perda financeira para qualquer empresa.
O Dr. Ciro aproveitou para falar da "Maca del Dr. Ciro", que é um produto feito por sua empresa familiar em associação com a Koken del Peru (e que já havia transcendido as fronteiras peruanas para ser vendido no Japão!) e sobre sua meta de fazer com que os próprios peruanos conhecessem e consumissem Maca de melhor qualidade, o que faria com que outras empresas se preocupassem em melhorar sua produção, incluindo o processo de secagem.
Imagem 3: Secagem da Maca

Imagem 4: Crianças consumindo Maca
*Níveis de Deutério¹
A concentração de Deutério nos alimentos de planície é de 150ppm; nos do mar, é de 156ppm; nos alimentos criados a mais de 3.800 metros sobre o nível do mar, esse número cai para 138ppm.
"Ao consumir produtos com muito deutério (como peixes e algas marinhas), a resposta química do corpo fica lenta". "Baixando em 6ppm a concentração de deutério no organismo, consegue-se que as células cancerosas deixem de multiplicar-se". Em um ano consumindo alimentos produzidos acima de 3800 m.s.n.m., pode-se chegar a ter uma concentração de 138ppm de deutério no organismo.
Os japoneses Kunihiro Seki e Yoshito Nishi estudaram por mais de cinco anos a água, os produtos alimentícios das alturas e a Folha de Coca (sobre a qual falamos aqui, aqui e aqui), chegando à conclusão de que transladar-se a uma altura de mais de 3.800 m aumenta a produção de hormônios de crescimento, o número de mitocôndrias do corpo, e a função sexual tanto em homens quanto em mulheres; alcaliniza-se o sangue; as enfermidades por hábito de vida como câncer, hipertensão e diabetes são revertidas pelos baixos níveis de deutério; as células sanguíneas e a flora intestinal aumentam 1.6x; a musculatura lisa dos órgãos e vasos sanguíneos se fortalece, dentre tantos outros benefícios.

Referências e fontes:
Conferência do Dr. Ciro Castillo Huerta, em Lima, Peru, dia 26/09/2016.
¹SEKI, Kunihiro; NISHI, Yoshito. Coca: sexualidad y longevidad. La paz: Tika & Teko, 2014. p. 142-143.

Imagem 2: Arquivo pessoal. Lima- Peru, 2016.
Outras imagens: <http://www.kokendelperu.com/galeria-sp.htm> Acesso em 28/09/2016.

No comments:

Post a Comment